IMPORTAÇÃO SIMPLIFICADA

 

Novas regras de importação via courier permitem importação para revenda.

 

Uma das situações mais questionadas quanto à aplicação da modalidade de Remessa Expressa era a impossibilidade de Importação de mercadorias destinadas à revenda ou para utilização nos processos de industrialização de produtos pelo importador.


A publicação que dispõe sobre o tratamento tributário e os procedimentos de controle aduaneiro aplicáveis às remessas internacionais, trouxe, entre outras, a possibilidade de importação de produtos tanto para revenda como também para utilização nos processos de industrialização.


"Vale destacar que as importações para revenda continuam impeditivas nas operações de pessoas físicas, sendo permitidas apenas às pessoas jurídicas."

importacao_mudancas-2.jpg

Deve-se observar que a importação de bens destinados à revenda ou a serem submetidos à operação de industrialização será permitida, desde que:

 

  • Os bens não necessitem de Licenciamento Simplificado de Importação (LSI), conforme Tratamento Administrativo Geral – Grupo de Pesquisa TSP, disponível no Portal Siscomex na Internet.

 

  • O valor total das operações não ultrapasse US$ 100.000,00 (cem mil dólares dos Estados Unidos da América) no ano-calendário, ou seja, de 01 de janeiro até 31 de Dezembro.

 

A pessoa jurídica deverá observar as instruções do serviço de atendimento ao cliente da empresa de courier ou da VEXTRA sobre a identificação da destinação comercial da remessa internacional, assim entendida aquela que contenha bens destinados à revenda ou a serem submetidos à operação de industrialização.


A empresa de courier ou a VEXTRA deverá marcar no campo próprio da DIR a condição de destinação comercial da remessa contendo bens destinados à revenda ou a serem submetidos à operação de industrialização.


Destaca-se, ainda, a possibilidade de ser habilitada para operar o despacho aduaneiro de remessas expressas, na modalidade especial, a empresa certificada pelo Programa Brasileiro de Operador Econômico Autorizado (Programa OEA), na condição de transportador e depositário de mercadorias sob controle aduaneiro, na modalidade OEA Segurança, que atender aos requisitos estabelecidos na norma citada, além de outras alterações significativas a serem observadas mais atentamente e passíveis de novos comentários.

DUIMP

 

"Uma mudança revolucionária, no processo de Importação."

 

A DUIMP é um documento eletrônico que contém informações de natureza aduaneira, administrativa, comercial, financeira, tributária, fiscal e logística, que caracterizam a operação de exportação dos bens por ela amparados e definem o enquadramento dessa operação.

 

A DUIMP serve de base para o despacho aduaneiro de exportação, em substituição aos atuais Registro de Importação (RI), Declaração de Importação (DI) em suas versões na web e no Grande Porte e Declaração Simplificada de Importação (DSI).

O sistema DUIMP, foi integrado ao Portal Único do Comércio Exterior, que englobou várias ferramentas em uma única plataforma, que instituiu a Declaração Única de Importação. Os controles aduaneiro e administrativo de uma exportação realizada por meio da DUIMP são efetuados por intermédio de módulos especializados do Portal Siscomex.